Lopes Moda 2
Oficina

Secretária de Saúde de Santo Inácio participa de oficina em Teresina

O evento teve início com a palestra ministrada pela professora da Universidade Federal do Piauí (UFPI), Dra. Dorcas Lamounier Costa, "O impacto do Sarampo na Saúde Pública".

01/09/2019 16h10
Por: ALISSON SOARES
Fonte: UFIPI
66
Saúde
Saúde

A secretária municipal de saúde de Santo Inácio do Piauí, Bruna Lara, participou no último dia (28) de agosto em Teresina, de uma oficina de respostas rápidas aos agravos emergentes com o tema: SARAMPO.

O evento aconteceu no cine teatro da Universidade Federal do Piauí (UFIPI), realizado pelo CIATEN Centro de Inteligência em Agravos Tropicais, Emergentes e Negligenciados. Durante a oficina, os participantes discutiram sobre o tema. O evento teve como público os gestores e servidores de saúde do estado do Piauí.  .

 

 

O sarampo é uma doença infecciosa grave, cuja prevenção acontece por meio da vacinação. O Piauí já possui registro de um caso confirmado da doença. O CIANTEN surgiu em um contexto em que um caso de uma pessoa com febre amarela provocou na equipe da saúde do Estado pânico, demonstrando despreparo e desinformação. “Nós compreendemos que era necessário que se criasse uma organização que visasse pensar, refletir e recomendar políticas públicas baseadas em pesquisas científicas, que podem aprimorar a qualidade e atenção à população”, declara o Prof. Dr. Carlos Henrique Nery Costa, Coordenador Geral do CIATEN.

O evento teve início com a palestra ministrada pela professora da Universidade Federal do Piauí (UFPI), Dra. Dorcas Lamounier Costa, "O impacto do Sarampo na Saúde Pública". Além de falar dos impactos, ela explicou para o público o que é o sarampo. “Ao ver o semblante tão jovem da maior parte desses participantes, eu percebo que a maior parte talvez nunca tenha visto um caso de sarampo e precisa entender o que está acontecendo agora, precisa identificar e se treinar. Louvável que vocês tenham percebido essa responsabilidade e tenham tido essa preocupação e estejam aqui disponibilizando o tempo de vocês para essa ação tão especial, ” destacou a Dra. Dorcas.

Em seguida, aconteceu uma mesa-redonda mediada pela COSEMS-PI e composta pela Coordenadora de Epidemologia do Estado do Piauí, Michele Cristina Fianco; Coordenadora de Imunização do Estado do Piauí, Kássia Karoline Barros; Coordenadora do Centro de Apoio Operacional de Defesa da Saúde – CAODS/MPPI, Cláudia Pessoa Marques da R. Seabra; e o Farmacêutico e Bioquímico, Jóse Ribamar de Castro Junior.

O objetivo da mesa era discutir medidas de controle da vigilância epidemiológica dos municípios, a imunização do sarampo no Piauí: Cobertura atual e metas de bloqueio e a intervenção do Ministério Públicovoltado para as coberturas vacinais.

“As ações de vigilância precisam ser rápidas e pertinentes, principalmente no sarampo que é uma doença que tem uma probabilidade de infecção, de transmissão muito rápida. Então, se a gente deixar passar o tempo essas ações se perdem. Uma pessoa infectada pelo sarampo tem o potencial de infectar de 20 a 30 pessoas se a gente não fizer o nosso dever casa”, ressaltou Michele Cristina Fianco, Coordenadora de Epidemiologia do Estado do Piauí.

A Oficina de Respostas Rápidas aos Agravos Emergentes – Sarampo faz parte da programação do I Ciclo de Palestras sobre Agravos Tropicais Emergentes e Negligenciados. Em setembro o Ciclo de Palestras está de volta com o tema “Violência intencional”.

 

 

 

 

 

 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias